Kimi no Na wa.

kimi no na wa

Eu estou apaixonada pelo Japão. Acho que isso ia acabar acontecendo. Sem muito alarde, e já faz tempo, o Japão é o segundo maior polo exportador de cultura pop do mundo. Nos últimos tempos coincidiu de eu assistir a vários bons filmes japoneses e ouvir uma banda japonesa, a Galneryus, e pronto: kawaii pra tudo que é lado. Eu vi Kimi no Na wa. no último fim de semana, logo depois de uma overdose de uma música só: “Destiny”. Foi a gota que faltava.

Kimi no Na wa. – que também tem um título mais fácil: Your name. – é um filme perfeito. Tem aventura, romance e é visualmente lindo. É difícil falar do anime sem esbarrar em spoilers. Mitsuba vive no interior do Japão. Ela tem uma rotina simples: vai para a escola, vive com a avó e a irmãzinha e sonha em morar em Tóquio. Taki é o jovem que parece ter a vida que Mitsuba quer: ele mora na capital, é universitário e trabalha como garçom em um restaurante. Os dois não se conhecem, mas por conta do destino suas vidas acabam entrelaçadas. De um jeito inexplicado, eles acordam um no corpo do outro pelos menos duas vezes por semana. Daí um passa pelo que o outro passaria, só para acordar como se nada tivesse acontecido no dia seguinte. Isso dura alguns meses, até que, do nada, para de acontecer e Taki decide ir atrás de Mitsuba para investigar o que houve, e também para conhecer a garota que faz parte dos seus pensamentos.

O ponto de partida é meio juvenil, mas isso não quer dizer nada. Os japoneses são especialistas em conseguir transformar temas que são típicos da juventude em objeto de reflexão mais profunda. É só ver qualquer história (no anime, no mangá) que pareça ser “menina conhece menino” para notar que isso será só o começo de uma aventura mais complexa: no mínimo os personagens serão excêntricos, com atitudes extravagantes vivendo em um mundo bizarro. Isso é muito empolgante. Kimi no Na wa. não chega a ter uma história de amor atípica, mas ele tem muito mais facetas que uma história de amor de um filme americano com os mesmos temas.

Kimi no Na wa. é apaixonante. As cores são usadas de um jeito ridiculamente bonito, são como uma explosão linda na nossa cara. Cada frame é uma pintura. Os protagonistas são cativantes e a história se desenrola de um jeito contagiante. Eles se detestam, eles se amam, eles não entendem o que está acontecendo, eles lutam para arrumar a bagunça, eles querem ficar juntos, eles  não sabem se vão ficar juntos, eles se apaixonam mesmo sem se conhecer. É uma história arrebatadora para ficar para sempre na minha memória. Eu amei. Acho que este blog corre o sério risco de ficar monotemático, acho que eu corro o risco de virar otaku depois de velha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s